Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 (62)99450-9072

Encontre o que deseja

NO AR

Vitória Gospel

    Goiânia

Prefeitura de Goiânia prorroga prazo para contribuinte contestar valor do IPTU

Publicada em 01/02/22 as 13:46h por Vitória 87 FM - 80 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
 (Foto: Vitória 87 FM)
A Prefeitura de Goiânia prorrogou o prazo para o contribuinte contestar o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Agora, o morador tem até 31 de dezembro deste ano para entrar com o pedido de contestação, caso não concorde com o valor cobrado no boleto. Vários cidadãos reclamaram que vão pagar bem mais do que o teto de 45% de aumento prometido no novo código tributário.
O anúncio da prorrogação foi feito na segunda-feira (31). O recurso administrativo não tem custos para o morador e pode ser feito nas unidades do Atende Fácil, por meio de agendamento no site da prefeitura:

Unidade da Estação Ferroviária - Avenida Goiás, no Setor Central;
Unidade Mangalô - Av. Mangalô, nº 146, Setor Morada do Sol;
Unidade Praça da Bíblia - em frente ao terminal de ônibus, no Setor Universitário;
Unidade no Paço Municipal - Av. do Cerrado, nº 999, Setor Park Lozandes;
Unidade do Shopping Cidade Jardim - R. José Pereira, 400 - Cidade Jardim.
Novo cálculo
O titular da pasta de Finanças, Geraldo Lourenço, ressaltou que em 55% dos casos, ou o IPTU foi isento ou foi reduzido.

Novo simulador do IPTU de Goiânia: veja como fazer o cálculo
Os dados mostram que aproximadamente 45 mil imóveis receberam a isenção total do valor do IPTU, segundo Lourenço, o que corresponde a 10,6% dos imóveis residenciais. Em relação à redução, mais de 191 mil contribuintes teriam recebido o boleto com valor menor do que o cobrado no ano passado.

"Os demais tiveram aumento no imposto, mas foi tomado o cuidado para que o aumento fosse o menor possível. Então, em 68% dos imóveis que tiveram aumento, ele não foi superior a R$ 100. E apenas 3,3% tiveram aumento superior a R$ 800", ressaltou Lourenço.

Já existe na Justiça de Goiás, inclusive, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) que pede a suspensão dos efeitos do novo código tributário, aprovado em setembro do ano passado, que mudou a forma de cálculo de impostos, incluindo o IPTU.





ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Nosso Whatsapp

 (62)99450-9072

Visitas: 249111 | Usuários Online: 25

Todos os direitos reservados

Converse conosco pelo Whatsapp!